Entre em contato via e-mail, Whatsapp ou redes sociais:

Circulação dirigida em Brasília, municípios goianos do Entorno do Distrito Federal e Goiânia. As matérias assinadas não representam, necessariamente, o ponto de vista deste jornal, sendo estas de responsabilidade de seus autores.

Matriz (Brasília): Qd. 2, Conjunto G, Casa 25, Candangolândia - CEP 71725-207 / Sucursal (Luziânia): Rua Padre Primo, sala 03, nº 67, Centro


Editora Comunicação e Marketing Ltda - Fone: 61 9 8124-1033 CEP 72800-620

  • whats
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • G+ - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Alunos com deficiência visual superam dificuldades

Instituição promove integração entre estudante, família, escola e comunidade para vencer os desafios da inclusão escolar e valorizar a diversidade na sala de aula

 

O número de estudantes com deficiência visual cresce a cada ano na rede regular de ensino. De acordo com o Censo Escolar do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), cerca de 70 mil alunos cegos e com baixa visão estão nas salas de aula no Brasil, o que transcende a importância de promover a inclusão escolar e a diversidade na escola.


Para acolher todos os alunos no mesmo espaço, o sistema educacional brasileiro passou por grandes mudanças nos últimos anos e adotou a Escola Inclusiva para garantir a convivência e a aprendizagem igualitária. Mesmo com avanços significativos, o processo de promover políticas públicas e sociais de inclusão escolar ainda é um desafio a vencer no país.


Com o objetivo de assegurar os diretos dos alunos cegos e com baixa visão, a Associação Brasileira de Assistência à Pessoa com Deficiência Visual (Lamara) promove ações que fortalecem a relação entre escola, família e comunidade para garantir o processo de educação e o desenvolvimento integral do estudante com deficiência visual. Nesta iniciativa, a ONG oferece atendimento educacional especializado, que inclui encontros frequentes com as instituições de ensino, capacitação de professores, promoção de conteúdo informativo à sociedade, acompanhamento do aluno semanalmente e suporte à sua alfabetização.


Nessa rede em prol da inclusão, a Laramara ainda oferece atividades socioeducativas e culturais organizadas por faixa etária, além de ensinar os pais a confeccionarem brinquedos e jogos adaptados e a importância do brincar para a aprendizagem das crianças e jovens da instituição.

 
“A contribuição da Laramara neste contexto é enorme, pois é uma das poucas instituições que está afinada com a proposta de uma escola de qualidade para todos e compreende que este processo não será possível sem a participação direta da família”, afirma Nelma Meo, coordenadora da Laramara.


Em 25 anos de atuação, a Laramara também está entre as mais atuantes instituições especializadas no atendimento e na inclusão das pessoas com deficiência visual na América Latina. Com sua equipe multidisciplinar, oferece diversos programas nas áreas socioassistencial e socioeducativa com ações complementares e atividades específicas essenciais à aprendizagem e ao desenvolvimento dessa parcela da população.

 

Para assegurar o acesso à educação, em 2004, a instituição também nacionalizou a produção de máquinas de escrever em Braille, tornando-se a única fabricante dessa tecnologia em toda América Latina e a 5ª no mundo. Desde então, conseguiu doar, por meio de campanhas de arrecadação, mais de 7 mil equipamentos para crianças e jovens carentes com deficiência visual.

 

“No processo de alfabetização, a máquina Braille representa para o aluno com cegueira o mesmo que o caderno e o lápis representam para o aluno vidente”, comenta a professora especializada em educação inclusiva da Laramara Eliana Paulino. Todos os projetos oferecidos pela Laramara são gratuitos e mantidos por doações de pessoas físicas e empresariais.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload