Entre em contato via e-mail, Whatsapp ou redes sociais:

Circulação dirigida em Brasília, municípios goianos do Entorno do Distrito Federal e Goiânia. As matérias assinadas não representam, necessariamente, o ponto de vista deste jornal, sendo estas de responsabilidade de seus autores.

Matriz (Brasília): Qd. 2, Conjunto G, Casa 25, Candangolândia - CEP 71725-207 / Sucursal (Luziânia): Rua Padre Primo, sala 03, nº 67, Centro


Editora Comunicação e Marketing Ltda - Fone: 61 9 8124-1033 CEP 72800-620

  • whats
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • G+ - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Demonstração de que lei é para todos, diz Caiado

Em coletiva, no Senado, Caiado disse que o juiz Sérgio Moro deu o bom exemplo impondo uma sentença condenatória ao homem que já ocupou a mais alta instituição do país. “A sociedade brasileira vê hoje a justiça sendo aplicada a quem já foi presidente da República, a mais alta instituição do país. É uma demonstração de que o Brasil se adequa às práticas das democracias mais desenvolvidas. Uma demonstração de que aqui tem lei e ela está sendo aplicada a quem quer que seja”, afirmou Caiado.


O senador ressaltou que durante todo o processo se respeitou o direito ao contraditório e todas as etapas que garantem um julgamento equilibrado ao réu. “O juiz Sérgio Moro se cercou de todas as prerrogativas de modo que amanhã ninguém poderá insurgir quanto à legitimidade do processo”, pontuou. Ronaldo Caiado também criticou a postura da base do ex-presidente Lula que tentou amenizar a situação do condenado alegando que o foco do julgamento seria em torno de “crimes políticos”.


“Criar subterfúgio agora nesse momento é querer não enxergar a verdade. Não cabe ao PT agora ‘apelidar’ as palavras. O que Lula fez foi roubar dinheiro público. Utilizou de verba pública para beneficiar ele e sua família. Não tem como confundir o crime. Foi assalto aos cofres públicos”, defendeu. O senador lembrou que esta é apenas a primeira sentença e que o ex-presidente Lula ainda é réu em outros quatro processos a serem julgados.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload