Entre em contato via e-mail, Whatsapp ou redes sociais:

Circulação dirigida em Brasília, municípios goianos do Entorno do Distrito Federal e Goiânia. As matérias assinadas não representam, necessariamente, o ponto de vista deste jornal, sendo estas de responsabilidade de seus autores.

Matriz (Brasília): Qd. 2, Conjunto G, Casa 25, Candangolândia - CEP 71725-207 / Sucursal (Luziânia): Rua Padre Primo, sala 03, nº 67, Centro


Editora Comunicação e Marketing Ltda - Fone: 61 9 8124-1033 CEP 72800-620

  • whats
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • G+ - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Caixeta garante que novo Partido somente após as eleições de 2018

Embora sem partido, o político/empresário descarta qualquer filiação a um novo partido antes do pleito para o governo do Estado no próximo ano. Ele reafirmou lealdade a Perillo.

 

Empresário Geraldo Caixeta, natural de Luziânia, é hoje um político de grande prestígio no município, e tem seu nome lembrado quando o assunto é sucessão à prefeitura local. Há cerca de 30 anos militando na política da região, Caixeta já presidiu o Solidariedade e o Partido Socialista Brasileiro, mas atualmente, está sem partido, e quer permanecer assim até as eleições do próximo ano. Somente após o pleito de 2018 ele pretende ingressar numa nova legenda, que segundo ele, se encaixe em seu perfil. 


“Participo da política desde 1992, sempre tendo como espelho o ex-prefeito Delfino Machado, um dos líderes mais popular do município que faleceu ano passado. Delfino sempre ajudou a comunidade, principalmente, os mais humildes. O saudoso Delfino teve sua vida particular marcada pela humildade”, analisou. Segundo o empresário, ele já esteve em outros partidos, mas não como presidente, como foi no Solidariedade e depois do Partido Socialista Brasileiro. “Tenho visão e atitude própria e não aceito manipulação. Por isso acabei deixando, por exemplo, o PSB”, lembrou.


Caixeta destacou que sempre pautou sua vida política pelo trabalho em conjunto, de união pelo município, e hoje prega a mesma linha. Por esse e outros motivos Caixeta tem seu nome citado nas rodas políticas quando o assunto é sucessão municipal. “A gente fica muito feliz em ouvir isso, mas é uma questão de grupo, não podemos pensar em qualquer projeto sozinho. Vivo focado na minha empresa, mas não posso falar que não estaria pronto para o embate de ser prefeito. Com o apoio do grupo não teria dificuldade nenhuma de pleitear o cargo” comentou.

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload