Criminosos transferidos para três presídios de segurança máxima

O governo de São Paulo transferiu 22 presos na quarta-feira, dia 13 de fevereiro, para penitenciárias federais de Brasília, Mossoró e Rondônia. Todos são líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Entre eles, Marcos Hebas Camacho, o Marcola, considerado o principal líder da organização criminosa. Um possível plano criminoso estava em andamento para libertar Marcola e já teriam sido gastos milhões de dólares em logística, compra de veículos blindados, aeronaves, material bélico, armamento de guerra e treinamento de pessoal. Embora tenha sido uma decisão do Ministério Público de São Paulo essa transferência, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, acompanhou todo o processo.

2 visualizações0 comentário