Entre em contato via e-mail, Whatsapp ou redes sociais:

Circulação dirigida em Brasília, municípios goianos do Entorno do Distrito Federal e Goiânia. As matérias assinadas não representam, necessariamente, o ponto de vista deste jornal, sendo estas de responsabilidade de seus autores.

Matriz (Brasília): Qd. 2, Conjunto G, Casa 25, Candangolândia - CEP 71725-207 / Sucursal (Luziânia): Rua Padre Primo, sala 03, nº 67, Centro


Editora Comunicação e Marketing Ltda - Fone: 61 9 8124-1033 CEP 72800-620

  • whats
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • G+ - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Lula entre a dor da morte do neto e a perda do direito à liberdade

 A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal em Curitiba, autorizou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a deixar a carceragem da Polícia Federal na capital paranaense para comparecer ao velório do neto, Arthur Lula da Silva, de 7 anos, que morreu, sexta-feira, dia 01 de fevereiro, de meningite meningocócica, em Santo André. A Polícia Federal vai escoltar o ex-presidente até o local do velório e do sepultamento, em São Bernardo do Campo, São Paulo. A Justiça agiu de forma coerente, afinal, a morte de um neto é muito dolorosa para qualquer avô e, além disso, a democracia também prega que direito e respeito devem ser preservados.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload