Lula entre a dor da morte do neto e a perda do direito à liberdade

A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal em Curitiba, autorizou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a deixar a carceragem da Polícia Federal na capital paranaense para comparecer ao velório do neto, Arthur Lula da Silva, de 7 anos, que morreu, sexta-feira, dia 01 de fevereiro, de meningite meningocócica, em Santo André. A Polícia Federal vai escoltar o ex-presidente até o local do velório e do sepultamento, em São Bernardo do Campo, São Paulo. A Justiça agiu de forma coerente, afinal, a morte de um neto é muito dolorosa para qualquer avô e, além disso, a democracia também prega que direito e respeito devem ser preservados.

1 visualização0 comentário