Presidente Bolsonaro quer o fim da Ancine e de filmes que atentem contra a família

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que pretende extinguir a Agência Nacional do Cinema (Ancine). Bolsonaro vem, a alguns dias, citando que a agência fomenta, com dinheiro público, obras cinematográficas que atentam contra a família, e voltou a citar o caso do filme Bruna Surfistinha, lançado em 2011. Na época, o filme recebeu cerca de R$ 4,3 milhões em renúncia fiscal, segundo a Ancine, mas obteve bilheteria de R$ 20 milhões e foi visto por mais de 2 milhões de espectadores no cinema. "Vamos buscar a extinção da Ancine. Não tem nada que o poder público tenha que se meter a fazer filme", disse. Bolsonaro também disse ter solicitado que a Ancine recue na autorização dada para captação de R$ 530 mil em isenção fiscal para a produção do documentário Nem Tudo se Desfaz, do diretor Josias Teófilo, que trata dos acontecimentos que levaram à eleição do presidente em 2018. O filme trata sobre o crescimento da linha conservadorista no país desde as manifestações de junho de 2013.

3 visualizações0 comentário