Entre em contato via e-mail, Whatsapp ou redes sociais:

Circulação dirigida em Brasília, municípios goianos do Entorno do Distrito Federal e Goiânia. As matérias assinadas não representam, necessariamente, o ponto de vista deste jornal, sendo estas de responsabilidade de seus autores.

Matriz (Brasília): Qd. 2, Conjunto G, Casa 25, Candangolândia - CEP 71725-207 / Sucursal (Luziânia): Rua Padre Primo, sala 03, nº 67, Centro


Editora Comunicação e Marketing Ltda - Fone: 61 9 8124-1033 CEP 72800-620

  • whats
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • G+ - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Mercosul e União Europeia abrem caminhos para o setor privado e investidores

 O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o ministro da Europa e dos Negócios Estrangeiros da França, Jean-Yves Le Drian, destacam a importância do acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia concluído no dia 28 de junho para o setor privado dos dois blocos. Em declaração à imprensa, no Palácio Itamaraty, Ernesto Araújo ressaltou que o acordo abre perspectivas “excelentes” para o setor privado e investidores e permitirá às empresas dos países dos dois blocos “se posicionarem melhor nas cadeias globais de valor”. Antes de entrar em vigor, o tratado terá que ser aprovado pelos parlamentos dos países do Mercosul e da União Europeia.

Jean-Yves Le Drian disse que trouxe mensagem do presidente francês, Emmanuel Macron, ao governo brasileiro, sobre a importância de um diálogo bilateral direto e transparente sobre todos os temas de interesse comum.

“Há um potencial econômico importante que este acordo representa para nossas empresas. Ao mesmo tempo, devemos tomar o tempo de realizar, por nossa parte, uma avaliação nacional completa, independente e transparente deste acordo que permitirá, assim, determinar a posição das autoridades francesas”, disse Jean-Yves. O chanceler francês destacou que há três elementos importantes que serão levados em conta pelo país antes de ratificar o documento: a implementação do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas, o respeito às normas ambientais e sanitárias francesas e a proteção de áreas sensíveis da economia francesa por meio de salvaguardas.

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload