Entre em contato via e-mail, Whatsapp ou redes sociais:

Circulação dirigida em Brasília, municípios goianos do Entorno do Distrito Federal e Goiânia. As matérias assinadas não representam, necessariamente, o ponto de vista deste jornal, sendo estas de responsabilidade de seus autores.

Matriz (Brasília): Qd. 2, Conjunto G, Casa 25, Candangolândia - CEP 71725-207 / Sucursal (Luziânia): Rua Padre Primo, sala 03, nº 67, Centro


Editora Comunicação e Marketing Ltda - Fone: 61 9 8124-1033 CEP 72800-620

  • whats
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • G+ - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

GDF inicia reformas de calçadas nas regiões administrativa do DF

 Para dar mais acessibilidade e mobilidade urbana à população do Distrito Federal, o governo local investe na reforma de calçadas espalhadas pelas regiões administrativas. De acordo com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), a manutenção não era feita desde 2012. A previsão de custo para os reparos é de pelo menos R$ 23 milhões, provenientes do GDF e de emendas parlamentares.

Entre as cidades que receberam a restauração estão Mangueiral, Plano Piloto e São Sebastião. As calçadas das regiões de Águas Claras, Ceilândia, Plano Piloto e Recanto das Emas estão sendo reformadas. Há previsão para que Brazlândia, Samambaia e Santa Maria também sejam contempladas com a manutenção. Nas outras cidades, as Regiões Administrativas estão colhendo informações de onde é necessário fazer a restauração para que a Novacap execute a ação.

O diretor de Urbanização da Companhia, Luciano Carvalho, alerta que é muito importante a população procurar a administração regional do local onde mora para pedir a reforma. “São eles que estão no dia a dia da cidade e sabem os pontos que precisam desse serviço”, explica. Carvalho acrescenta que em muitos lugares não existem calçadas ou elas estão em situação precária. O diretor diz ainda que a intenção do governo local é de que a reforma seja constante. “Principalmente quem utiliza o transporte coletivo precisa de qualidade para se locomover sem correr risco de se acidentar.”

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload