Entre em contato via e-mail, Whatsapp ou redes sociais:

Circulação dirigida em Brasília, municípios goianos do Entorno do Distrito Federal e Goiânia. As matérias assinadas não representam, necessariamente, o ponto de vista deste jornal, sendo estas de responsabilidade de seus autores.

Matriz (Brasília): Qd. 2, Conjunto G, Casa 25, Candangolândia - CEP 71725-207 / Sucursal (Luziânia): Rua Padre Primo, sala 03, nº 67, Centro


Editora Comunicação e Marketing Ltda - Fone: 61 9 8124-1033 CEP 72800-620

  • whats
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • G+ - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Governador estreita laços com chefes de Estado durante encontro do Brics

 O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, participou quarta-feira, dia 13, do jantar com integrantes da 11º Cúpula do Brics – formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África. O evento ocorreu no Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores, e contou com a presença de autoridades do poder Executivo e Legislativo Federal.

Para o governador o bloco é um dos mais eficientes mecanismos multilaterais de cooperação em áreas com potencial de gerar resultados concretos tanto para os brasileiros quanto para os povos dos outros países. “Estamos muito felizes em receber os dirigentes, assim como as suas delegações. Acredito que a visita da cúpula trará experiências memoráveis e proveitosas. Os cinco países chegarão a novos entendimentos e acordos”, destacou.

Ibaneis Rocha ressaltou que o DF aproveitou a agenda intensa para participar de ações conjuntas da cúpula. “O GDF promoveu um seminário para buscar cooperação técnica com o Novo Banco de Desenvolvimento (NBD). A vinda de empresários, investidores e representações governamentais também são importantes para parcerias nas áreas de transporte sustentável e comércio, além de financiamentos e alternativas de projetos nas áreas de energia e mobilidade, assim como Parcerias Público-Privadas (PPPs)”, pontuou.

Representando aproximadamente 42% da população, 23% do PIB, 30% do território e 18% do comércio mundial, o bloco também debateu acordos e o fortalecimento de cooperações em ciência, tecnologia e economia digital. O grupo discutiu ainda formas de combater ilícitos transnacionais – principalmente o crime organizado – a lavagem de dinheiro e o tráfico de entorpecentes. Essas questões foram prioridades durante a rodada extensa de encontros e debates em Brasília, primeira cidade que recebe pela segunda vez a cúpula.

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload