Rede de solidariedade se forma para atender famílias que passam dificuldades

A necessidade de manter distanciamento social por causa da pandemia da covid-19 interrompeu atividades econômicas em Pirenópolis, Goiás, a 150 quilômetros de Brasília, inclusive do turismo. Hospedagens, restaurantes e bares estão impedidos de funcionar há dois meses, conforme decretos municipais. Com a suspensão desses serviços, centenas de famílias passam por dificuldades.

Para amenizar a situação, comerciantes locais e moradores, doam alimentos que são arrecadados por um grupo de voluntários que criou a Campanha Fome Zero Piri com o propósito de levar a essas famílias mais necessitadas da região produtos para alimentação, limpeza de casa, cuidado pessoal e com animais de estimação.

A Campanha Fome Zero Piri já distribuiu cerca de 320 cestas com alimentos básicos, como arroz, feijão, macarrão, molho de tomate, óleo, café, açúcar, farinha de trigo, fubá, farinha de mandioca e bolacha; e um kit “xô corona”, com sardinha, maçã, cebola, alho, açafrão, pimenta do reino, leite (de produtor local) e ovos. Também foram distribuídos material de limpeza e higiene pessoal, e até ração para os pets.

Além das pessoas atendidas, 80 famílias se inscreveram para receber os produtos básicos. A coordenadora da campanha, Reila Miranda disse que a campanha também planeja capacitar as pessoas para terem outras formas de sustento e formarem cooperativa multiprofissional de trabalho. “Precisamos agora dar o peixe, mas também queremos dar a vara de pescar”, comenta a coordenadora.

A campanha fez parceria com a Comunidade Educacional de Pirenópolis (Coepi), uma associação cultural e ambiental, para ensinar sobre o manejo de solo e cultivo de alimentos em hortas domiciliares e comunitárias. Empresários rurais com terras ao redor de Pirenópolis e pessoas da comunidade ofereceram glebas e pequenos terrenos urbanos para plantação por trabalhadores que venham a ser qualificados.

2 visualizações0 comentário