Caiado endurece medidas e cobra mais apoio dos municípios durante isolamento


O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), afirmou nesta segunda-feira, dia 29 de junho, que, por ele, fecharia todas as atividades econômicas, não essenciais, dos 246 municípios do Estado para conter o avanço da covi-19. Caiado disse que um novo decreto vai estabelecer quais as atividades que não podem mais funcionar já da terça-feira, dia 30. "A responsabilidade é de todos nós. Cada prefeito e cada prefeita vai responder pelos casos de seus municípios", afirmou em videoconferência feita na manhã desta segunda dia 29.

Em Goiás, a curva de novas infecções da covid-19, é a que mais cresce no país, embora os números de óbitos sigam estáveis.O governador informou ainda que vai colocar a disposição de municípios que cumprirem suas determinações, polícia para apoiar os prefeitos que querem seguir suas determinações de isolamento social. "A tropa estará prestando atenção sem desguarnecer o combate à criminalidade", explicou o governador. "Mas a prefeitura local também tem papel importante ao retirar a autorização de empresas que não estejam cumprindo as normas necessárias. Esse estabelecimento não pode mais continuar aberto se não estiver nesse mesmo esforço do Estado", completou.

O Secretário de Saúde do Estado, Ismael Alexandrino, admitiu que a situação de Goiás está à beira do colapso e que faltam recursos. Segundo ele, estudo da UFG aponta a necessidade de dois mil leitos disponíveis, mas isso é impossível. A expectativa de Alexandrino é fechar junho com 500 leitos. O secretário destacou também outro ponto, que deve ser responsável por elevar o número de óbitos por causa da covid-19. "A capacitação dos profissionais de saúde é cada vez menor. Faltam pessoas. O MEC chegou a formar pessoas com seis meses antes da conclusão dos cursos. Essa qualidade certamente vai impactar na letalidade”, observou.

7 visualizações0 comentário