MPF pede afastamento de ministro por improbidade administrativa


O Ministério Público Federal entrou com ação contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, por improbidade administrativa. A Procuradoria pede à Justiça que conceda liminar para afastar o ministro do cargo, segundo ela, por “desestruturação dolosa” e “esvaziamento” de políticas ambientais. Segundo o ministro, o pedido do MPF é uma tentativa de interferir em políticas públicas. "A ação de um grupo de procuradores traz posições com evidente viés político-ideológico em clara tentativa de interferir em políticas públicas do Governo Federal", criticou.

Salles afirmou ainda que as alegações são um apanhado de diversos outros processos já apreciados e negados pelo Poder Judiciário. “São argumentos improcedentes, conforme a Justiça” afirmou. De acordo com procuradores que assinam a ação, o Ministro teriam atuado em série de atos, omissões e discursos que caracterizariam conduta intencional com o objetivo de fragilizar a atuação estatal na proteção do meio ambiente.

A ação foi movida após alguns declarações do ministro na reunião com o presidente Bolsonaro, dia 22 de abril, e tornada pública pelo Supremo Tribunal Federal. Naquela ocasião, Salles disse que o governo federal deveria aproveitar a oportunidade da pandemia do novo coronavírus para “ir passando a boiada” em regulações ambientais. Após a divulgação das imagens, o ministro disse que estava defendendo a flexibilização de normas dentro da legalidade.

0 visualização0 comentário