Programa do GDF vai gerar mais de quinze mil empregos até o fim do ano


O Governo do Distrito Federal (GDF) não mede esforços para combater o desemprego. Com a pandemia do novo coronavírus, as medidas foram reforçadas e garantiram mais 15 mil vagas de emprego para este ano, por meio do Emprega-DF. O total de 14 grandes empresas já aderiu ao programa e a expectativa é que mais quatro firmem parceria com o GDF ainda neste ano.

Criado pelo governador Ibaneis Rocha, o programa – com base na legislação de Mato Grosso do Sul – oferece benefício fiscal com desconto no Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), entre 40% a 67%, para atrair empresas. Em troca, as indústrias e comércio oferecem postos de trabalho, qualificação profissional e investimentos e recursos para a empresa.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Eduardo Pereira, a estimativa é de que, em 2023, mais de 60 mil empregos diretos e indiretos sejam criados. “Em parques industriais e comerciais, construção civil, indústria farmacêutica, varejista e atacadista, por exemplo”, explica. “O governo local tem trabalhado para que a economia continue viva e para que ela fique pulsante a medida que os empresários acreditem no futuro”, diz.

De acordo com a última Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) – divulgada em junho –, o principal impacto da pandemia do novo coronavírus foi na população economicamente ativa, ou seja, pessoa acima de 16 anos que estão empregadas ou desempregadas. “Com relação a junho do ano passado, temos pessoas que perderam emprego ou deixaram de procurar por falta de perspectiva”, explica o presidente da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), Jean Lima.

0 visualização0 comentário