Músicos passam por necessidades e apelam a prefeita para volta ao trabalho


A pandemia afetou financeiramente a vida de profissionais de todas as categorias, particularmente, os músicos que foram os mais prejudicados e estão a cerca de seis meses sem ganhar o sustento financeiro da família. Por isso, a categoria, em Luziânia, reclama dos últimos decretos municipais em que tudo foi liberado e voltaram a funcionar, menos o espaço dedicado à música desses estabelecimentos. O cantor Márcio Luiz, representante da categoria nessa ''briga'' pela volta afirma que até alguns donos de casas noturnas estão pedindo para a música voltar.

O cantor destaca que o público está pedindo, mas até agora a prefeita Edna Aparecida não deu nenhuma resposta sobre o pedido feito pelos músicos. Segundo ele, neste pedido, a categoria afirma que quer cumprir as regras do decreto juntamente com os donos dos estabelecimentos e todas as medidas de segurança impostas pelos órgãos sanitários. “Nós pedimos também que a prefeita os receba para discutir o assunto, pois os músicos precisam voltar ao trabalho tendo em vista que muitos deles tem a música com único sustento da família” justificou ao acrescentar que o auxilio emergencial do governo vai acabar para alguns, e ser reduzido à 300,00, para outros. “Se com 600,00 já estava difícil, imagina agora com essa redução. Alguém vive com trezentos reais? indagou o Cantor''.

6 visualizações0 comentário