Covas culpa governo federal pelos “percalços” no combate a pandemia



Na abertura de seu depoimento à CPI da Covid, na manhã desta quinta-feira, dia 27, no Senado Federal, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que o Brasil poderia ter sido o primeiro país do mundo a iniciar a vacinação contra a Covid-19. Segundo ele, isso não ocorreu, por causa de "percalços" no fechamento do contrato entre o instituto e o governo federal. Covas disse ainda que e demora na aprovação do uso emergencial da vacina pela Anvisa também contribuiu para o problema.

O diretor do Butantan lembrou que a CoronaVac, vacina produzida pelo instituto em parceria com o laboratório chinês SinoVac, foi motivo de intensa disputa política entre o presidente Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria. O Butantan é ligado ao governo estadual e Bolsonaro em 2020, além de desprezar o imunizante, disse por diversas vezes que o governo federal não compraria a CoronaVac.

O contrato acabou sendo firmado em janeiro de 2021, seis meses depois que o Butantan fez a primeira oferta. Hoje, a CoronaVac é a vacina contra a Covid que mais foi aplicada no Brasil.

Dimas Covas lembrou que o Butantan poderia ter entregue 100 milhões de doses para o governo federal até este mês de maio, mas pela demora na assinatura do contrato, o prazo teve que ser ampliado para setembro. O diretor do Butantan é a décima pessoa a prestar depoimento à CPI.

14 visualizações0 comentário