Sem máscara Bolsonaro reascende discussões polêmicas em Goiás



O presidente Bolsonaro, sem máscara, e sem manter os protocolos sanitários de prevenção a Covid-19, esteve em Goiás na quarta-feira, dia 09 de junho, onde almoçou na fazenda do cantor Amado Batista, em Goianápolis, e também participou do lançamento de uma federação e de um culto evangélico em Anápolis.

Em Goiás, Bolsonaro tocou em assuntos polêmicos como a divulgação, que segundo ele, foi feita pelo Tribunal de Contas da União, de que o número de mortes por Covid-19 no País não representa a realidade. “Só me equivoquei quando troquei acórdão por tabela”, afirmou Bolsonaro. “A tabela que não foi feita por mim, mas por gente que está do meu lado”, completou, sem citar o nome do servidor do TCU, Alexandre Marques, que foi afastado de suas funções pela presidência da Corte ainda na quarta-feira,

O presidente também voltou a defender a cloroquina, remédio sem eficácia comprovada contra a Covid-19. “Talvez eu seja o único chefe de Estado no mundo que fala isso. Será que o único certo? Para acertar na Mega Sena, alguns acertam sozinhos”, disse.

E como se não bastasse, para tocar ainda mais fogo no parquinho, Bolsonaro reafirmou que houve fraudes em sua eleição e que somente foi eleito porquê teve muitos votos. O Presidente disse que foi eleito no primeiro turno da eleição de 2018, mas que "fraudes" o levaram para o segundo turno e contou seu pensamento após ser eleito presidente da República: “Não sabia o que fazer, era como uma criança que ganhou uma bicicleta e não sabe andar”.

Após a saída da igreja, Bolsonaro cumprimentou apoiadores. Diferente de quando estava dentro do templo, o presidente apareceu sem máscara, aglomerando o público presente. Ele tirou foto, pegou uma criança no colo, cumprimentou as pessoas e depois foi apoiado na porta do carro até o final da barreira de isolamento, onde desceu e cumprimentou os policiais militares que estavam presentes.


7 visualizações0 comentário