Sem qualquer protocolo sanitário a Covid Bolsonaro promove aglomeração



O presidente Bolsonaro sem nenhuma precaução com relação as medidas sanitárias contra a Covid-19, após passeio de moto com apoiadores no Rio de Janeiro, lamentou todas as mortes ocorridas no Brasil e defendeu a liberdade e a democracia. “Lamento cada morte havida no Brasil, cada morte, não importa a motivação da mesma. Mas nós temos que ser fortes, nós temos que enfrentar desafios, viver e sobreviver”, disse.

Bolsonaro destacou ainda - “desde o começo eu disse que tínhamos dois problemas: o vírus e o desemprego, muitos governadores e prefeitos simplesmente ignoraram a grande maioria da população brasileira e sem qualquer comprovação científica decretaram lockdowns, confinamentos e toque de recolher”. Entidades de saúde brasileiras, como a Fiocruz, defendem o lockdown como forma de conter o avanço do novo coronavírus.

O presidente ressaltou que o Exército Brasileiro “jamais irá às ruas para manter vocês dentro de casa”. Na avaliação dele, “é obrigação nossa lutar por liberdade, lutar por democracia e realmente fazer com que nosso país mude”. Ele frisou que o poder do povo brasileiro é maior do que o dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. “Nós faremos tudo para que a vontade popular seja realmente efetivada”.

Acompanharam o presidente políticos e autoridades, entre eles, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e o deputado federal Marco Feliciano (Republicanos-SP). O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello também estava presente. “Nós não tiramos o emprego de ninguém, muito pelo contrário, fizemos o possível para que eles fossem mantidos. Estamos ainda em um momento difícil, mas se Deus quiser, logo ele passará. Temos que viver, temos que ter alegrias também, temos que ter ambições, temos que ter esperança”, disse Bolsonaro.


5 visualizações0 comentário